segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Se soubesse não faria — discurso de Suzana Castro



Nesses tempos andam me acontecendo muitas coisas, que no entanto eu não queria, ou simplesmente não entendo.
 O concurso do TAL, uma responsabilidade entre tantos papéis para assinar. Estou sentindo o meu querido professor se afastar, mesmo que seja somente uma impressão está me machucando muito. Deixei com que conhececem como poetisa naquela tarde, tive meu último beijo na testa, meu último abraço. E confesso, se soubesse que perderia todo o carinho, de quem acredito ser quase meu amigo, não teria me mostrado assim, pois todos os elogios, e todo o reconhecimento do colégio não vão passar a dor que eu estou sentindo aqui, bem dentro de meu coração.

Preferia que ele acreditasse naquela menina frágil, que precisaria de cuidados, ou me visse somente como uma desenhista, que ainda não queria que chegasse a conhecer, tais virtudes me fazem tão mal que, as vezes juro que me odeio, mas que culpa tenho, ou é você que não gosta de mim? Eu não sei, mas as coisas estão mudando muito.





Um comentário:

  1. Olá Suzana, estás em mudanças e, tantas coisas te acontecendo... Eu sei... Também escrevo como escreves... E, é tanto o que quero escrever... Somos parecidos... Eu Poeta e, tu Poetisa... E o nosso mundo é o UNIVERSO... Embora ninguém concorde ou precise saber o nosso segredo... Viestes me visitar e te estou retribuindo... Amanhã irei ao teu cantinho no Recanto... Se desejar veja meus blogs... Suzana é tarde, boa noite, lindos sonhos...

    http://nossapoesiavive.blogspot.com.br/
    https://apoesiaroamorvive.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir