sábado, 10 de junho de 2017

Cansa sentir quando se ama - Poesia de Suzana Castro



Chega transbordar a dor,
De um coração cansado,
De tanto amor proibido,
Sem poder alcançar,
O que lhe parece impossível.

As lágrimas descem sem para,
Rolam como o bruto sofrimento,
Agredindo meu coração,
As noites e dias parecem não passar,

Tentar encontrar - Poesia de Suzana Castro



Há tantos caminhos,
E eu me perdi,
No meio de tantas coisas,
Que tampouco cheguei a descobrir.

A vida é muito injustiça,
E as injustiças rolam a cada segundo,
Se omenos,
Uma gota de alegria caísse em meu coração,
Desceria sob meu rosto,
Lágrimas felizes.

Mas a justiça e oculta,
Na gramática real da realidade,
Onde o errado e certo,
E o certo é errado.

Tento encontrar,
A minha felicidade,
Mas ela se perdeu de mim,
E onde se esconde,
Meu coração não sabe.

Não chorar por quem não merece! - poesia de Suzana Castro


Olha pra mim,
Tenta adivinhar o que eu sinto,
O meu olhar nada te demonstra,
Tenta me fazer sofrer,
Me atribui a tristeza,
Para que lágrimas entrestecidas eu possa pingar.

Mas não adianta,
Não me submeto ao teu querer,
Sim, sim, não desisto.
Não entrego meu sofrimento a quem não merece!

Se tiver de pingar lágrimas,
Que sejam lágrimas felizes,
De um amor que hoje me faz triste,
Mas um ano inteiro de felicidades!

Quem ama cuida - Poesia de Suzana Castro



A cada momento,
Deixei o amor prosseguir,
Sem um mínuto de parada,
Sem uma gota se quer, a cair.

Em troca de nada,
Pois não se troca,
Sentir profundamente,
Nas profundezas da paixão.

Se ama esse amor,
Por que o maltrata?
Cultive-o, faça cresce-lo.
Pois se ama de verdade,
A força de vontade não feri.

A voz do silêncio - poesia de Suzana Castro



Preciso ouvir a voz do silêncio,
Preciso alcamar meu coração,
A zoada rola no tempo,
Como uma tristeza gritando pela infelicidade.

E tudo que preciso,
De uma paz com nome silêncio,
Gritando em meu coração,
Estou aqui...

1997 - Poesia de Suzana Castro



Época de descobertas,
O sentimento próprio,
Coberto por um ano vivido no agora,
Mas lindas lembranças do passado.

Onde se passou,
A felicidade no presente a vista,
O medo do futuro morto,
Os planos nascendo.

Lágrimas e risos,
Fluidos do nada,
O mais puro calor,
Aquecendo a felicidade.

Foi em 1997,
Lembranças concretas,
Na felicidade do agora,
Onde o sentimento se mostra.

(Suzana Castro)

Lado Sentimental – Poesia de Suzana Castro



Meu lado sentimental tem que suportar a perca do  teu amor,
Nada dura pra sempre,
E esse infinito amoroso acabou.

Dá uma dor,
Mas posso recolhe-la,
Pouco a pouco,
E fazer pingar até secar.

Foi uma preciosidade,
Que se perdeu para sempre,
Que se queimou,
E só restou a dor.
Está que vou derramar,
Deixando sequer,
Uma gota sobrevivente.